sábado, 10 de outubro de 2020

Análise: na era do Instagram, separação de Gusttavo e Andressa foi choque de realidade necessário

O recado que fica com a notícia da separação é que nós não podemos viver da imagem que os outros querem de nós


Muita gente se chocou, nessa sexta-feira (9/10), com a notícia do fim do casamento de Gusttavo Lima e Andressa Suita. O casal carregava uma representatividade enorme para todo um país.

Vamos aos fatos: o Brasil acompanha a vida de Gusttavo desde a adolescência. Viu, diante dos olhos, ele se transformar por completo. Da pobreza extrema e anonimato ao topo da música nacional. O menino magrelo e desinteressante se tornou um homem forte, cheio de atitude e virilidade.

Os dramas da vida dele só fizeram a história ganhar contornos de novela: a perda da irmã, a falência financeira e uma volta por cima digna do sonho americano. Pronto. Gusttavo passou a representar o ideal do que o brasileiro quer para a própria vida.

Andressa não deixou por menos no quesito conto de fadas. Menina muito simples do interior, cheia de valores, sempre bonita e que foi para a cidade grande em busca de seu espaço. Sonhava em ser famosa, mas da maneira mais difícil: aquela em que seus valores não poderiam ser deixados de lado. Nunca expôs a vida pessoal e jamais se envolveu em escândalos.

O encontro dos dois só poderia ser arrebatador. Ele correu atrás dela loucamente, ela esnobou e ele gamou. Andressa exigiu que Gusttavo largasse a vida de farra e, em contrapartida, abdicou de toda a fortuna dele.

Pronto: o conto de fadas estava criado: O menino caipira se apaixonou pela mulher dos sonhos.

O repertório mudou conforme sua vida se transformou. O casamento foi no meio do mato, com o luxo que o sucesso proporcionou. E aí, vieram os filhos. Um mais lindo que o outro. Era a família perfeita.

Mas… Perfeita pra quem? Pra nós que adoramos idealizar a vida do outro, como se lá estivesse a perfeição e não aqui, nas nossas casas. A grama do vizinho é sempre mais verde!

Gusttavo e Andressa não fizeram do casamento um negócio. E não nos iludiram. Se nós idealizamos algo, a culpa foi nossa. Eles não viraram reféns de uma perfeição inatingível. Nas redes sociais, eles, assim como nós, procuraram mostrar apenas o melhor. Mas é preciso entender que aquilo não é vida real. É apenas uma parte dela.

O recado que fica com a notícia da separação é que nós não podemos viver da imagem que os outros querem de nós, viver do que idealizam sobre as nossas vidas. Não dá pra viver uma vida de mentira só para não decepcionar o público. Pior: viver uma mentira para não destruir o sonho do outro, não o próprio sonho.

Gusttavo e Andressa fizeram com que a gente parasse de sonhar com um conto de fadas e descobrir que cada um é capaz de viver a sua verdade.

Foram 5 anos de um belo amor. Mas até aquilo que parece perfeito tem um fim. E não é necessariamente um triste fim. É apenas o fim que tinha que ser.

Quem foi que disse que todo amor é eterno? A história de Gusttavo e Andressa foi, sim, uma linda história de amor. E muitos outras ainda virão. E viva a sua, idealizando menos a dos outros.

Fonte:  Metrópoles

Posts Relacionados

Análise: na era do Instagram, separação de Gusttavo e Andressa foi choque de realidade necessário
4/ 5