terça-feira, 8 de setembro de 2020

“Não somos bagagem, somos seres vivos”: começa campanha pedindo que os bichinhos viajem na cabine com seus donos



Uma das situações que mais preocupam os amantes dos animais, uma vez que têm de viajar com os seus animais de estimação de avião, são as condições em que são transportados até ao seu destino.

Depois de conhecer casos de animais que perderam a vida no transporte aéreo, a gata Angel – que viaja com a família na cabine – busca garantir que todos possam voar com seus donos em condições dignas.

Uma das situações que mais preocupam os amantes dos animais, uma vez que têm de viajar com os seus animais de estimação de avião, são as condições em que são transportados até ao seu destino. Embora existam alguns – como cães-guia – que podem viajar na cabine, a maioria dos nossos amigos peludos deve ir para a área de carga ao lado da bagagem.

Esta situação tem tido sérias consequências para eles, que vão desde o enorme estresse que sofrem ao viajar no escuro e com o barulho das turbinas, até causar a morte em alguns casos. Foi o que aconteceu, por exemplo, com um cão Husky em 2018 , que, enquanto viajava no porão de carga, ficou sem oxigênio após ter sido extraviado durante um vôo de mais de 10 horas.


Fruto de situações como esta e outras, em que animais perderam a vida devido ao frio ou ao serem esmagados por outras bagagens, nasceu a campanha “Não somos bagagem, somos seres vivos”, promovida pelo belo gato bengali chamado Angel.
Esta linda gata viaja o mundo com sua família, mas não o faz na área de carga como a maioria dos animais, mas graças aos seus donos o gatinho pode viajar na cabana com eles.

Ángel é até celebridade nas redes sociais, onde tem mais de 150 mil seguidores no Instagram , que acompanham suas aventuras pelo mundo. E precisamente, graças ao seu grande número de adeptos, esta campanha deu o peso necessário para ir muito longe.

“Não sou bagagem, sou passageira!” Dois gatos morreram recentemente e um foi congelado durante o vôo da @aeroflot de Nova York. E não é apenas um problema da Aeroflot, mas um grande problema para todas as companhias aéreas em geral. Quantos animais mais têm que morrer durante os voos de carga para que as companhias aéreas mudem as regras de transporte para eles? Eles são congelados ou fritos até a morte ou feridos. As transportadoras os carregam junto com outras bolsas e às vezes são mantidos do lado de fora por horas, não importa se está muito quente ou muito frio. É tão ruim »começou explicando o dono de Angel.

«Angel é uma viajante frequente, mas tem a sorte de voar na cabine porque é pequena. Mas por que outros animais com peso superior a 8 kg são tratados como sacos de carga? Quero pedir-lhe que partilhe esta informação para que todas as companhias aéreas fiquem a par e alterem as regras de transporte de animais! Eles devem tratá-los como passageiros! Porque os nossos amigos peludos não são bagagem, são passageiros como tu e eu », terminou de escrever enquanto anexava uma foto de Angel num voo enquanto uma adorável comissária de bordo a abraçava.

Mas além de compartilhar esta publicação, graças à enorme difusão que teve a campanha de Angel, várias páginas foram criadas para assinar petições a favor de que todos os animais possam viajar na cabana com seus donos.


Embora existam algumas companhias aéreas que permitem que os animais viajem na cabine, a ideia dessa campanha é criar uma lei universal em que os animais sejam tratados como seres vivos e partes de uma família, e não apenas mais uma carga na área de bagagens.


Eles merecem um assento no avião!


Traduzido e adaptado de: UPSOCL

Posts Relacionados

4/ 5