domingo, 16 de agosto de 2020

Pará foi um dos destinos mais procurado no país, à frente de Santa Catarina e Ceará

Alter do Chão é um dos destinos bastante procurados. | Tamara Sare-Arquivo/Ag. Pará
Na frente de lugares badaladíssimos como Santa Catarina e Ceará, o Pará foi o destino mais procurado na região Norte e o sétimo do Brasil em 2019, uma boa notícia que surpreende diante de uma realidade de condições nem sempre ideais de deslocamento, custos elevados de passagens, entre outras situações que inibem muitos candidatos a visitantes de um estado tão grande. O dado é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Turismo – 3º trimestre de 2019, divulgada esta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e realizada em convênio com o Ministério do Turismo.

Quem atua nesse mercado, extremamente abalado no momento por causa da pandemia do novo coronavírus, confirma que até a chegada do vírus ao Brasil, o Pará vivia uma situação interessante. “Estávamos em ascendência de número de turistas chegando por diversos modais. Os transatlânticos vinham em maior número e a estrutura de recepção estava melhor. Muitas excursões de outros estados também chegavam pela via aérea, com turistas direcionados principalmente para as regiões de Belém, Marajó e Santarém. Os relatos de quem passou por aqui é de que o Pará é uma grata surpresa dentro do país como um atrativo autêntico e diferente”, relata Marco Romero, que trabalha como guia de turismo desde 1999.

O turismo dentro do Estado também passou a atrair quem mora aqui. “Somos o segundo maior em extensão territorial no país, temos uma capacidade enorme de fazer turismo aqui dentro mesmo. Percebi, por exemplo, muita gente de municípios como Marabá, Parauapebas e Altamira trabalhando com roteiros para Salinas, Praia de Algodoal, Ajuruteua, Marapanim. O turismo interno pode se fortalecer muito bem quando bem divulgado” .

O que é bom, sempre pode ficar melhor, e no entendimento do guia de turismo, um trabalho na base, promovendo o ordenamento jurídico das ações ligadas ao turismo no Pará, já ajudaria a buscar uma posição ainda melhor no próximo ranking.

RESULTADO


Apenas tentar organizar, qualificar ou mostrar para o mundo todo tudo o que se tem aqui não será suficiente. “Muitas empresas e profissionais estão trabalhando ainda de forma ilegal, e com isso ficamos com uma imagem de um turismo amador. A partir do momento em que dermos legalidade e legitimidade aos nossos equipamentos turísticos, empresas de turismo, transportadoras turísticas e os profissionais de linha de frente (principalmente guias de turismo), teremos um bom foco para o processo. E o resultado será o aumento do fluxo turístico”, analisa.

Yani Barbier é sócia-gerente de uma empresa de turismo e vice-presidente da Associação Brasileira de Agência Viagens do Pará (Abav/PA). Ao contrário de Marco, ela afirma não ter sentido o efeito desse dado do IBGE em 2019. “Porém, sentimos uma procura maior de brasileiros querendo conhecer a região Norte”.

Ela sugere que o momento pós-pandemia será o ideal para investir na divulgação do Estado como destino turístico. “O brasileiro sentirá uma vontade enorme de viajar pelo Brasil, até pelo medo de sair do país ou pegar um voo longo”, justifica, sugerindo que é preciso focar em oferecer maior segurança aos turistas em polos como a Ilha do Marajó, por exemplo.

Logística é a palavra-chave dentro do planejamento de melhorias para o fluxo turístico por aqui no entendimento do agente de viagens Vinícius Borges. “A questão da infraestrutura vem em primeiro lugar, principalmente em relação às estradas, pontos de apoio. Em muitos locais ainda não há uma padronização e capacitação das pessoas para atender de forma educada e profissional ainda é falho. O turismo tem efeito multiplicador, e ainda falta muito a ser trabalhado”, reconhece.

Em sua atuação pré-coronavírus, o profissional também percebeu procura alta pelo Marajó e por Santarém, além de outros locais como Algodoal, Praia do Lembe (Marudá), Fazenda Hotel Vitória (Tracuateua), Bragança e Salinas.

Ele é sócio-proprietário de uma empresa do ramo que promove mais viagens para fora, e ainda assim, conta que acabam atraindo clientes ao Pará. “Conhecem a gente e querem vir conhecer o Pará justamente pelo nosso trabalho, pelas fotos que divulgamos das nossas viagens e dos atrativos turísticos que aqui temos. Dizem que é um local lindo, pelo aspecto das belezas naturais, principalmente pelos rios e igarapés, pela gastronomia e também pela cultura paraense”.


RANKING

Dez estados mais procurados para o turismo em 2019 em percentuais de procura dentre as viagens realizadas - IBGE/Pnad

l 1 - SP - 18,9

l 2 - MG - 12,8

l 3 - BA - 8,7

l 4 - RS - 6,7

l 5 - RJ - 5,8


l 6 - PR - 5,6

l 7 - PA - 4,5

l 8 - CE - 4,3

l 9 - SC - 4,2

l 1 0 - GO - 4,1

Fonte: Dol 

Posts Relacionados

Pará foi um dos destinos mais procurado no país, à frente de Santa Catarina e Ceará
4/ 5