3 de ago. de 2020

Globo se da mal ao atacar Bolsonaro


Uma reportagem exibida no Fantástico, na noite do último domingo (2), foi alvo de duras críticas nas redes sociais por trazer um conteúdo acusatório contra aliados do presidente Jair Bolsonaro.

Na ocasião, o dominical citou supostas ligações entre pessoas que tiveram as contas derrubadas pelo Facebook e membros da família Bolsonaro.

Durante o conteúdo, a matéria citou os nomes de Tércio Tomaz, Paulo Eduardo Lopes, conhecido como “Paulo Chuchu”, Leonardo Barros e Vanessa Navarro.

Segundo o jornalístico, os quatro fariam parte de uma rede de contas falsas na plataforma, suposição que foi refutada pelos acusados.

Entre as alegadas contas falsas, estariam, segundo a matéria, perfis de veículos como Bolsonaro News, Brazilian Post e Notícias São Bernardo do Campo.

À Globo, a defesa de Paulo Eduardo Lopes afirmou que ele “jamais administrou qualquer página de conteúdo jornalístico” e que “o Facebook se equivocou ao banir as páginas de Paulo Chuchu de suas plataformas”.

O advogado de Leonardo Rodrigues de Barros Neto disse que “não há qualquer fundamento” nas investigações que apontam seu cliente como dono de “perfis inautênticos”, “já que sua identidade é conhecida”.

A defesa da assessora Vanessa Navarro classificou a exclusão da conta como “atentado à liberdade de expressão”.

Nas redes sociais, a emissora recebeu uma enxurrada de críticas, com a #GloboLixo aparecendo entre os assuntos mais comentados na noite de domingo e manhã desta segunda-feira (3).

Um dos citados na reportagem, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), afirmou que o conteúdo foi criado a partir da narrativa de Luciano Ayan, membro do MBL preso por suspeita de lavagem de dinheiro.

– A Globo está cega. Apenas quer nos triturar. Não ficará assim – disse.

Fonte: Pública Brasil