18 de jul. de 2020

Jovem brasileira chega a faturar mais de R$ 10 mil por mês vendendo 'nudes' na web

Aos 24 anos, ela está há dois neste ramo e diz que não pretende parar

(Foto: Reprodução/Instagram)
Ao entrar no Instagram de Mayara Meyer, ou 'Cogumays', como a jovem de 24 anos é conhecida nas redes, nos deparamos com respeitáveis 115 mil seguidores.

A paulista radicada em Goiás se define como vegetariana e amante dos animais. Além disso, desde meados de 2018, ela trabalha vendendo nudes na internet e vem faturando alto com isso, chegando a ter ganhos que ultrapassam os R$ 10 mil por mês.


Como tudo começou


Mayara conta que em setembro de 2018 fez uma viagem à Chapada dos Veadeiros, no interior de Goiás, se encantou pelas paisagens do local e resolveu ficar por lá.

"Me apaixonei pelo lugar e um mês depois eu estava morando lá", contou a empreendedora em entrevista exclusiva para o Portal da RedeTV!. Antes da mudança, a jovem administrava um hotel para animais em São Paulo que era focado em adestramento de cães.

Não muito afeita à rotina tradicional de trabalho, ela diz que até pensou a mandar currículos, mas não se via dentro de uma empresa. "Não queria voltar para aquele ritmo de trabalho. Ter hora para acordar, hora para dormir, alguém mandando em mim. Eu não me adequo nesse sistema", confessa.

"Aí eu falei: 'Cara, eu vou vender nudes'. Eu tinha uma amiga na internet que já fazia isso, eu acompanhava o trabalho dela e via que era uma coisa bem tranquila. Ela vendia as fotos dela e conseguia se manter só com isso e eu falei: 'Por que não, né? Deixa eu tentar'", relembra.

E a tentativa deu certo. Com algumas fotos tiradas em um esquema bem caseiro ela conseguiu faturar R$ 2 mil logo de cara. Com o passar do tempo, foi se profissionalizando e viu seus ganhos, em pouco tempo, irem para a casa dos R$ 6 mil. "Hoje em dia minha média é de R$ 10 mil e costuma ultrapassar", diz.

Quarentena e oportunidades


Assim como a maioria dos trabalhadores, Mayara se sentiu insegura com a chegada da quarentena do novo coronavírus (Covid-19). Porém, diferentes de outros setores, o ramo de venda de fotos íntimas não foi afetado pela pandemia. Muito pelo contrário.

"Eu até aproveitei o início da quarentena para lançar um pacote novo e foi um sucesso, deu bastante certo, acho que foi o período que eu mais fiz dinheiro. Cheguei a pensar que as vendas pudessem cair, mas os meus clientes parecem não ter sido muito afetados", conta.


Apesar de não costumar ter conversas pessoais com a clientela, nas poucas que teve, ela diz ter percebido um padrão nos compradores: "São advogados, médicos, brasileiros que moram fora e a faixa etária é de uns 25 a uns 30 e poucos anos".

Segredo do sucesso

Mayara não é a única que vende suas fotos íntimas na web, porém, seu sucesso está longe de ser um padrão. "Eu conheço várias meninas que são maravilhosas, que trabalham com isso há algum tempo e que estão passando perrengue", conta.

"Então, não é que existe uma fórmula secreta, a pessoa tem que fazer do jeito dela, tem que ser criativa. Não é só ter um corpo bonito e colocar na rede social que vende nudes. É toda uma estratégia", continua.

Além de uma estratégia bem montada, que envolve divulgação no Instagram e negociações pelo WhatsApp, Mayara credita à sua personalidade nas redes todo o sucesso que alcançou nesses quase dois anos.

"As pessoas conseguem me ver para além do meu trabalho, que ali existe um ser humano, que tem uma vida, um cachorro, hobbies, que eu gosto de viajar, de fazer trilhas, as pessoas gostam de acompanhar isso", ressalta. "Ser uma pessoa que os outros admiram ajuda a vender fotos", completa.

E o futuro?

Mayara ainda se vê por algum tempo vendendo seus nudes, mas também se prepara para eventuais mudanças.

"Estou juntando dinheiro para adquirir alguns bens e para abrir um negócio, mas, ainda assim, vou continuar com as fotos, mesmo que seja como um extra. Só vou parar se em algum momento da minha vida eu realmente tiver que parar", revela.


"Não vou falar que vai ser algo que eu vou fazer para o resto da minha vida porque a vida é muito louca, mas pretendo ficar até quando rolar", finaliza.


Fonte: RedeTV